Elizabeth Bathory - Mentes Diabólicas





Uma das Mentes mais Diabólicas do Mundo! Você pode ler ou ver o video...


Nascida em 7 de agosto de 1560 na Hungria, Elizabeth Bathory, ou Erzsébet Bathory, foi uma condessa Húngara conhecida como a condessa sangrenta. Filha de Jorge e Anna Báthory , a maior parte de sua vida foi passada em um castelo a oeste da atual Eslováquia. Os Báthory faziam parte de uma das mais antigas e nobres famílias da Hungria, bonita e inteligente aprendeu a falar quatro línguas.

Quando criança, aos 4 anos, ela começou a apresentar crises de epilepsia, mais tarde, ela sofreu oscilações extremas de humor, adquiriu uma personalidade bipolar e tinha ainda momentos de raiva incontrolável ​​violentos. Ela cresceu sendo mimada, sem qualquer tentativa de disciplina de suas governantas, a falta de disciplina acaba de fazer Elizabeth acha que ela poderia fazer o que quisesse, ainda cresceu assistindo aos sangrentos conflitos territoriais e ainda assistiu suas irmãs sendo violentadas e mortas por soldados em um ataque ao seu castelo. O que pra alguns estudiosos pode ter sido o motivo de seu sadismo.

Elizabeth ficou noiva aos onze anos de idade. Em 1574, ela engravidou de um camponês quando tinha apenas 14 anos. dada então a um casal de camponeses, ao que se supõe pagos pela família Báthory para que fugissem do reino com a bastarda. Casou-se em maio de 1575, seu marido tinha 25 anos na época do seu casamento e era apelidado de "O Herói Negro da Hungria", o conde Nadasdy frequentemente, ficava fora de casa por longos períodos, ela então assumia os deveres de cuidar dos assuntos do castelo da família, com o disciplinamento de um grande contingente de empregados, principalmente mulheres jovens, suas tendências sádicas começaram a revelar-se. Durante este tempo, ela também deu à luz cinco filhos, era uma mãe amorosa e dedicada, uma pessoa que nada tinha a ver com a sua reputação sádica.

Ela não apenas punia os que infringiam seus regulamentos, como também encontrava todas as desculpas para infligir castigos, deleitando-se na tortura e na morte de suas vítimas. Espetava alfinetes em vários pontos sensíveis do corpo das suas vítimas, como, por exemplo, sob as unhas ou nos mamilos. No inverno, executava suas vítimas fazendo-as se despir e andar pela neve, despejando água gelada nelas até morrerem congeladas, diziam que ela se divertia dando chaves ou moedas aquecidas ao fogo para queimar as mãos de algumas mulheres, Elizabeth costumava ainda atear fogo aos pelos púbicos de uma de suas criadas. Seu marido que morreu em 1604, se juntava a ela nesse tipo de comportamento sádico e até lhe ensinou algumas modalidades de punição como o despimento de uma mulher e cobrindo-a com mel, deixando-o à mercê de insetos. Elizabeth torturava principalmente jovens que não poderiam denunciá-la, uma vez que ela costurou a boca de uma criada, porque ela falava demais. Em um acesso de raiva teria chegado a abrir a mandíbula de uma serva até que os cantos de sua boca se rasgassem.

Existem relatos que no ano seguinte Elizabeth conheceu Anna Darvulia e teve um relacionamento com ela, uma sábia ,ocultista, alquimista e talvez praticante de rituais de magia negra, após a morte da mulher, ela teria se relacionado com Erzsi Majorova, viúva de um fazendeiro que a encorajou a incluir algumas mulheres nobres entre suas vítimas. Os rumores sobre suas atividades sádicas e o ato de beber sangue humano se espalhavam pelas redondezas e cada vez mais era difícil conseguir jovens como servas, sendo assim ela começou a encobrir o fato dizendo que fora suicídio. Outra história controversa sobre a condessa, é sobre um dia em que a condessa estava de cama, mandou que lhe trouxessem uma jovem donzela para fazer-lhe companhia, mas quando a moça se aproximou a condessa avançou sobre ela cravando-lhe os dentes no pescoço e no tronco arrancando-lhe pedaços de carne.

Suas ações estavam cada vez mais conhecidas pela população, mas a família de Bathory era poderosa o suficiente para subornar as pessoas certas para não dizerem nada. As pessoas tinham medo deles e de seu poder, incluindo a Igreja.

Em determinada época de sua vida, Elizabeth percebeu que estava ficando velha, ela estava com seus quarenta anos e não era mais a bela jovem que já foi um dia. Diz a lenda que ela bateu em uma serva por puxar seu cabelo ao penteá-lo, Elizabeth então a arranhou com suas longas unhas e os cortes sangraram. Elizabeth limpou o sangue em sua mão, notou que a pele abaixo parecia mais jovem e mais firme, foi quando ela teve a ideia de que o banho de sangue da virgem iria ajudá-la parecer mais jovem, tempos depois pensou em beber o sangue das vítimas para melhorar a ação de rejuvenescimento.

Segundo lendas da época, em um calabouço, existia uma gaiola pendurada no teto construída com lâminas, ao invés de barras. A condessa se sentava em uma cadeira embaixo desta gaiola onde era colocada dentro uma prisioneira, que era espetada com uma lança comprida. Esta se debatia, o que fazia com que se cortasse nas lâminas da gaiola, e o sangue resultante dos cortes banhava Elizabeth.

Depois de algum tempo, Bathory decidiu que o sangue camponesas não a satisfazia mais. Ela era um aristocrata, ela precisava do sangue de sua própria espécie. Ela decidiu então abrir uma escola para as filhas da nobreza para ensiná-las comportamento e boas maneiras. Um grande erro cometido por as famílias dessas meninas começaram a despertar suspeitas, essas meninas tinham famílias que se preocupavam com elas. Outro fato desordenado, foi quando Bathory jogou os corpos de 4 meninas por cima do muro do castelo, em vez de enterrá-las.

Desta vez, essas informações chegaram ao Rei da Hungria na época, que ordenou em 1610 que fosse feita uma investigação sobre a situação. uma investigação foi feita no castelo de Elizabeth e algumas meninas foram encontradas mortas ou morrendo na masmorra do castelo, os corpos foram encontrados sob as tábuas do assoalho, em armários, onde quer que eles poderiam ser escondidos. Estupidamente Elizabeth mantinha ainda um livro em sua mesa com os nomes das meninas que ela tinha matado.

Em 26 de dezembro de 1610 Elizabeth foi presa junto com alguns de seus criados. Todos eles confessaram os crimes depois de sofrerem tortura. No entanto, Elizabeth como uma aristocrata não poderia ser julgada por seus atos. Em vez disso, seus cúmplices tiveram que pagar por seu crime com suas vidas. Mas Elizabeth não escapou ilesa, sua família a manteve em prisão domiciliar, em um pequeno quarto no castelo da família, com pouca ventilação, onde morreu com 54 anos.

Há aqueles que acreditam que Bathory não era tão ruim quanto relatam, dizem que, como Vlad, o Empalador, sua história foi aumentada, como parte de uma conspiração, pois as confissões de seus servos foram obtidas por meio de tortura e ela nunca foi julgada por seus crimes. Além dos réus, várias pessoas foram condenadas pelo fornecimento de mulheres jovens, que foram enganadas em busca de emprego o ou pela força bruta.

Seus diários estão em uma biblioteca na Hungria, mas eles não foram traduzidos porque a escrita e a linguagem são difíceis de ler.

essa história deu origem há muitos contos sobre vampiros, diversos documentos mostram ligações entre a família Bathory e a família de Vlad Tepes, o conde drácula,

A banda Bathory, fez em sua homenagem a música Woman of Dark Desires, a banda CRADLE OF FILTH fez um cd intitulado Cruelty and The Beast baseado nela,


Elizabeth Bathory, torturava, matava, criadas, camponesas e jovens meninas da nobreza, ainda se banhava e bebia o sangue de suas vítimas, Elizabeth Bathory é uma das pessoas com mentes diabólicas.


Bons Pesadelos...

Monstros da Universal - Quatro Coisas




Quatro Coisas sobre os Monstros da Universal, que influenciam muito em tudo que temos de terror por ai!
O programa apresenta bem os Monstros e todo fã de terror deveria ver esses filmes obrigatórios!

Bons Pesadelos...

Silent Hills - Trailer




A Algum tempo não aparecia um jogo de terror que prometia tanto, principalmente nos consoles, mas a volta do Silent Hill no PS4 vai ser FODA demais!!!
Preciso de um PS4, aceito ajudas e doações!!!

Tem Coragem de jogar?
Bons Pesadelos...

A Ilha da Loucura


Poveglia Island é uma das muitas ilha nas águas de Veneza, Itália, mas em vez de ser um lugar de beleza, a ilha é um defeito purulente no mar cintilante e não é apenas considerado como um dos locais mais assombrados do planeta, mas também um dos lugares mais amaldiçoados no mundo. Hoje só quem tenta se aproveitar das videiras de lá é que vão lá. Até mesmo pescadores se afastam da ilha por medo de que ossos humanos se enrosquem em suas redes.

A história sombria da ilha de Poveglia começou durante a época romana, quando foi usada para isolar as vítimas da peste da população em geral. Séculos mais tarde, quando a Peste Negra rolou pela Europa, ela foi usada novamente. Os mortos foram jogados em grandes covas e enterrados ou queimados. Como a praga reforçou seu domínio, a população começou a entrar em pânico e os residentes que mostravam o menor sinal de doença eram retirados de suas casas e mandados para a ilha de Poveglia chutando, gritando e implorando. Eles foram atirados em pilhas de cadáveres em decomposição e incendiados. Homens, mulheres, crianças ... tudo deixado para morrer em agonia. Estima-se que a pequena ilha viu até 160.000 corpos durante este tempo.

A ilha tornou-se uma área podre, de fato. O solo da ilha combinada com os restos carbonizados dos corpos despejados lá criaram uma espessa camada pegajosa de cinzas. O núcleo da ilha é literalmente feito de restos humanos, o que deu a ilha uma reputação repugnante, mas parece ser muito bom para as videiras que estão plantadas lá. Pense nisso na próxima vez que você beber vinho italiano!

Como se a história não fosse preocupante o suficiente, fica pior. Em 1922, a ilha se tornou o lar de um hospital psiquiátrico completo com uma torre de sino grande e muito impressionante. Os pacientes deste hospital imediatamente começaram a relatar que eles viam fantasmas de vítimas da peste na ilha e que eles ficavam acordados à noite ouvindo os lamentos torturantes dos espíritos sofredores. Como eles já eram considerados loucos pela equipe do hospital, estas queixas foram amplamente ignoradas.

Para aumentar a angústia das pobres almas que povoavam este hospital ilha, um médico decidiu fazer um nome para si mesmo através de experimentos com seus pacientes, tudo para encontrar uma cura para a loucura. Lobotomias foram realizadas em seus pacientes lastimáveis ​​usando ferramentas rudimentares, como brocas de mão, formões e martelos. Esses pacientes e mesmo os que não estavam a par de atenções especiais do médico foram levados para a torre do sino, onde foram torturados e submetidos a uma série de horrores desumanos.

De acordo com a lenda, depois de muitos anos executando estes atos imorais, o médico começou a ver os espíritos vítimas da prega na Ilha Poveglia. Diz-se que o levaram para a torre do sino onde saltou (ou foi jogado) para o chão abaixo. A queda não o matou de acordo com uma enfermeira que testemunhou o evento, mas ela contou que enquanto ele estava deitado no chão se contorcendo de dor, uma névoa subiu do chão e o sufocou até a morte. Há rumores de que o corpo do médico está na torre do sino do hospital e que em noites silenciosas, os sinos podem ser ouvidos em toda a baía. O hospital fechou.

Por um tempo, o governo italiano era dono da ilha, mas mais tarde venderam. O proprietário abandonou o terreno na década de 1960 e foi a última pessoa a tentar viver lá. Uma família recentemente tentou comprar a ilha e construir uma casa de férias lá, mas eles foram embora depois da primeira noite lá e se recusaram a comentar sobre o que aconteceu. O único fato que nós sabemos é que o rosto da filha deles foi rasgado e precisou de quatorze pontos.

Hoje Poveglia é desabitada e o turismo para a ilha é estritamente proibida. De vez em quando o bater das ondas na costa descobre ossos humanos carbonizados que estão enterrados.

Vários médiuns visitaram a ilha do hospital abandonado, mas todos eles fugiram morrendo de medo do que tinha visto lá. De vez em quando alguns aventureiros passam despercebidos das patrulhas policiais e vão explorar a ilha, mas todo mundo que foi, se recusou a voltar lá, dizendo que há uma atmosfera pesada cheia de mal e que os gritos e gemidos torturados que permeiam a ilha fazem ficar insuportável lá.

Um relato de um caçador de emoção que fugiu da ilha diz que depois de entrar no hospital abandonado, uma voz sem corpo ordenou-lhes: "Deixe imediatamente e não voltem."

E eles nunca voltaram lá.


Tradução Mohamed
Bons Pesadelos...

Americano come orgãos da namorada



Um americano foi preso nesta segunda-feira, após invadir a casa de sua namorada, matar a mulher e comer seu coração, pulmões e cérebro. Anos antes, ele já havia passado pela prisão, acusado de assassinato, mas pagou fiança e deixou a cadeia em 2012. As informações são do Daily Mail.

Segundo a publicação, Joseph Oberhansley, 33 anos, teria invadido a casa da parceira Tammy Jo Blanton, 46 anos, na última quinta-feira. O caso aconteceu na cidade de Jeffersonville, em Indiana, nos Estados Unidos.

Os restos do corpo da mulher foram encontrados sob uma lona no banheiro de sua casa. Os policiais disseram que encontraram também um prato coberto de sangue e ossos, além de utensílios de cozinha ensanguentados.

Após o início das investigações, o acusado assumiu que teria cozinhado partes do cérebro da namorada, além de seu coração e pulmões. Depois, segundo o depoimento, ele comeu todos esses órgãos, deixando o resto do corpo no banheiro.

Oberhansley foi acusado de assassinato, abuso de cadáver e invasão de propriedade. Ele ainda será julgado. Em 1998, o acusado teria sido condenado por outro homicídio, envolvendo a morte de outra mulher com quem ele mantinha um relacionamento.

Fonte: Terra


Um Serial Killer não chega a ser, mas Canibal ele já está oficializado!

Não vejo mais notícias dos Serial Killers soltos no Brasil, alguém tem novidades dos casos?
Bons Pesadelos...

O Diabinho da Garrafa



Também conhecido como, Cramulhão, Capeta da Garrafa, entre outros nomes, este ser é fruto de um pacto que as pessoas afirmam que se pode fazer com o diabo. Este pacto consiste, na maioria das vezes, de uma troca: a pessoa pede riqueza e em troca dá a alma ao diabo.

Feito o pacto, a pessoa tem que conseguir um ovo, do qual nascerá um diabinho de 15 a 20cm aproximadamente. Más não se trata de um simples ovo de galinha, e sim um ovo especial, fecundado pelo próprio diabo.

Segundo muitos, o Diabinho da Garrafa tem as seguintes características:

1. Nasce de um ovo. Em algumas Regiões do Brasil, acredita-se que ele pode nascer de uma galinha fecundada pelo diabo; noutras Regiões, acreditam que ele nasce de um ovo colocado não por galinha, mas sim por um galo. Este ovo seria do tamanho de um ovo de codorna.

2. Para conseguir tal ovo, a pessoa deve procura-lo durante o período da Quaresma ; e na primeira sexta-feira após conseguir o ovo, a pessoa vai até uma encruzilhada, à meia-noite, com o ovo debaixo do braço esquerdo. Após passar o horário, retorna para casa e deita-se na cama. No fim de 40 dias, aproximadamente, o ovo é chocado e nascerá o diabinho.

3. Com o diabinho, a pessoa coloca-o logo na garrafa e fecha bem fechado. Com o passar dos anos, o diabinho enriquece o seu dono, e no final da vida leva a pessoa para o inferno.


Essa lenda é tão famosa que teve uma versão na novela Renascer da Globo, veja






Você venderia sua alma? Você tem seu preço?
Bons Pesadelos...

Vai Buscar




O Canal Lenda Urbana está lançando cada video melhor e mais assustador que o outro, fazendo crescer o terror no Brasil!!!
Nesse video, quem nunca teve medo de buscar alguma coisa inusitada que sua mãe pediu...

Bons Pesadelos...